Opção Lacaniana

Nova série
ano VII
Março 2016
ISSN 2177-2673

Número
19

Editorial

 

Às vésperas do X Congresso da Associação Mundial de Psicanálise (AMP) sobre O corpo falante, no Rio de Janeiro, o sumário desse número de Opção Lacaniana online segue a política editorial que conduz sua trilha: enlaçar artigos que não visam necessariamente o tema do programa bienal da AMP sem deixar, no entanto, de recolhê-los segundo a perspectiva desse programa. A revista contempla assim o mais variado e singular da pesquisa, sustentando o que neles ressoa da AMP.

O texto de abertura, por tradição de Jacques-Alain Miller, destaca como a pesquisa em psicanálise resta singular, ainda que atravessada pelos efeitos da lógica cartesiana que deu origem à ciência. Nela, a precisão, virtude e herança fundamental de Descartes, como enfatiza Miller, se alcança pelo bem-dizer lacaniano das ideias claras e nítidas, uma a uma. O artigo de Miller, originariamente uma conferência pronunciada em 1992, não menciona o último ensino de Lacan, o corpo falante ou o sinthoma do falasser. No entanto, é esse mesmo desejo da palavra justa que animará, no Congresso, as demonstrações da clínica do falasser.

Da mesma forma, os diferentes artigos aqui publicados abordam, cada um à sua maneira, o que se pode dizer sobre o corpo falante, seus paradoxos, suas bordas no real lacaniano. São textos sobre a identidade de gênero e a sexuação em psicanálise, a violência contra o corpo de uma mulher e a era do consumo massificado, o ideal do amor que faz sintoma, o mistério do corpo falante no insondável da garganta de Irma, a transexualidade do falo ao corpo, a noção de claritas no seminário O sinthoma e, por fim, o movimento do sujeito quando uma contingência promove 'um' corpo de 'uma' dança.

Como o leitor pode verificar, é o mistério do corpo falante que causa esse sumário. Desnecessário comentá-lo mais. Que se passe a leitura!


Heloisa Caldas